Sobre

A reportagem especial Aquazônia foi desenvolvida pela Ambiental Media com apoio do Instituto Serrapilheira e propõe contribuir para que o foco do debate público no Brasil sobre a conservação da Floresta Amazônica inclua o elemento que mais torna este bioma único: a água.

A Bacia Hidrográfica Amazônica cobre uma área de 7 milhões de quilômetros quadrados e concentra 20% da água doce líquida superficial do planeta. Ainda assim, a extensão dos impactos do aumento da atividade humana predatória sobre os ecossistemas aquáticos é pouco conhecida. Rios, lagos e igarapés não são um tema central na cobertura da imprensa ou mesmo entre legisladores. Com o Aquazônia, propomos uma avaliação de como atividades humanas recentes vêm transformando a dinâmica da bacia, pois acreditamos que a água deve ser um tema central nas discussões relacionadas ao futuro climático do Brasil e do planeta.

Durante 12 meses, uma equipe multidisciplinar de jornalistas, respaldados por uma consultoria científica especializada, entrevistou dezenas de pesquisadores de diferentes instituições e analisou os melhores dados científicos disponíveis sobre hidrelétricas, mineração, hidrovias, agropecuária, degradação florestal, cruzamentos de rios com estradas, área urbana e mudanças climáticas na Amazônia Legal. O resultado é o Índice de Impacto nas Águas da Amazônia (IIAA), um produto jornalístico do qual resultou uma análise inédita: o primeiro diagnóstico global sobre o estado das águas da Amazônia no Brasil.

Esperamos que as indicações das áreas mais vulneráveis da bacia hidrográfica, apresentadas neste projeto, sirvam de inspiração para novos estudos científicos, capazes de cobrir as imensas lacunas de dados existentes. E sirvam, sobretudo, para novas reportagens jornalísticas, debates nas redes sociais e proposição de leis que possam assegurar o futuro das águas da Amazônia, do qual dependemos todos.

Utilização dos dados do Aquazônia Os resultados deste projeto são públicos. Pedimos apenas que o Aquazônia seja citado, incluindo os nomes da Ambiental Media e do Instituto Serrapilheira.

Equipe

Thiago Medaglia, Coordenador

Jornalista, escritor, fundador da Ambiental e idealizador do Aquazônia. Mestrando em História da Ciência pela Universidade de Harvard; pesquisador-convidado no Programa Knight de Jornalismo Científico do MIT 2020; pós-graduado em Jornalismo Empreendedor pela City University de Nova York 2016. Foi repórter na revista Caminhos da Terra, pioneira do ambientalismo no Brasil, e editor na revista National Geographic Brasil (2010-2013). Publicou artigos de opinião e reportagens em veículos de imprensa como Folha de São Paulo, Estadão, Mongabay, Mother Jones e outros.

Laura Kurtzberg, Desenvolvimento do IIAA e Visualização de Dados

Professora assistente na Florida International University e colaboradora frequente da Ambiental Media. Recentemente, criou os mapas interativos para o projeto Cortina de Fumaça, da Ambiental. Possui um MFA em Mídia Interativa com especialização em visualização de dados. Ao lado da bióloga Cecília Gontijo Leal, é a principal autora do Índice de Impacto das Águas da Amazônia (IIAA).

Cecília Gontijo Leal, Consultora Científica

Bióloga, pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), campus Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALq), integrante da Rede Amazônia Sustentável (RAS). Em mais de uma década de pesquisas na Amazônia, tem investigado os impactos das atividades humanas na biodiversidade dos igarapés, como são chamados os pequenos rios amazônicos. Atuando em parceria com Laura Kurtzberg, é a principal autora do IIAA.

Ronaldo Ribeiro, Editor

Ronaldo Ribeiro trabalhou por 27 anos na Editora Abril, em São Paulo, onde ajudou a desenvolver o projeto da primeira revista de viagens de aventura e conservação ambiental do Brasil, Caminhos da Terra. Ao longo de 8 anos na revista, ele viajou para mais de 30 países e para todos os estados brasileiros para escrever reportagens sobre diversos temas – conservação, ciência, cultura e ecoturismo. Essa experiência permitiu que ele fosse convidado para o cargo de editor sênior da edição brasileira da National Geographic, lançada em maio de 2000. Por 19 anos, até o final da publicação, em novembro de 2019, Ronaldo foi responsável pela gestão do conteúdo da marca em português.

Letícia Klein, Repórter

Jornalista com foco em questões ambientais e científicas. Fellow do programa Digital Path to Entrepreneurship, do International Center for Journalists (ICFJ) em 2021. É criadora e autora do blog Sustenta Ações e colaboradora frequente da Ambiental Media como repórter. Seu trabalho já apareceu em vários veículos, incluindo Mongabay, National Geographic, Revista Época Negócios, Projeto Colabora e Conexão Planeta. Escreve para a newsletter do Um Só Planeta, movimento editorial brasileiro voltado ao combate da crise climática.

Kevin Damasio, Repórter

Jornalista freelancer baseado em São Paulo, Brasil, focado em questões socioambientais e científicas. Escritor colaborador da National Geographic Brasil desde 2014, com publicações na NatGeo Latam e na NatGeo USA. Seu trabalho também foi publicado nas revistas brasileiras Hardcore, Planeta, Outside, Runner's World, Bycicling, bem como Huck (Reino Unido).

Sobre a Ambiental Media

Ambiental transforma conteúdo científico em produtos jornalísticos inovadores, atraentes e acessíveis. Somos uma rede internacional de colaboradores formada por profissionais de mídia com habilidades múltiplas e complementares. Trabalhamos pela disseminação da ciência para o público geral e acreditamos no jornalismo como ferramenta de alerta e conscientização sobre a emergência climática.

O trabalho da Ambiental já foi replicado por alguns dos principais veículos de imprensa do Brasil e do mundo, entre eles, The Guardian, Folha de São Paulo, Estadão, The Conversation, O Globo, Valor, National Geographic Brasil e outros.

Agradecimentos

Ao Instituto Serrapilheira pelo financiamento do projeto e pelo suporte em todas as etapas do trabalho, em especial à Natasha Felizi, diretora de divulgação científica, durante o desenvolvimento conceitual, e à Raika Moisés por seu apoio constante.

Às pesquisadoras Angélica Resende (USP, Esalq) e Raquel Carvalho (Embrapa Amazônia Oriental) por compartilharem os dados de mudança climática do projeto Synergize (CNPq/MCTI 442354/2019-3), que são parte importante do Índice de Impacto nas Águas da Amazônia (IIAA).

Ao pesquisador Paulo Pompeu (Universidade Federal de Lavras), à jornalista Juliana Mori (InfoAmazonia) e ao jornalista Gustavo Faleiros (Pulitzer Center) pela reunião de validação externa do IIAA.

Por fim, aos cientistas entrevistados e às organizações que compartilharam suas bases de dados. Ainda que a maioria dos dados utilizados já estivessem disponíveis publicamente, este projeto não existiria sem o trabalho árduo e meticuloso de pesquisadores de várias instituições, entre elas, Projeto Mapbiomas, Rede Amazônica de Informação Socioambiental (RAISG), Agência Nacional de Águas (ANA), Climate Hazards Group Infrared Precipitation with Stations.


Voltar para home